Sífilis, Como diagnosticar?

Sífilis, Como diagnosticar?

15 mai 2013

coletadesanguered (1)

A sífilis é uma doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria, conhecida como Treponema pallidum. É uma DST (Doença Sexualmente Transmissível) podendo ser transmitida através do contato direto com o sangue contaminado com a bactéria, transfusão sanguínea e verticalmente, ou seja, de mãe para filho.

Segundo a Biomédica Gleiciere Maia Silva, ela afirma que é diagnosticada por exames laboratoriais, sendo este, rápido e eficiente, contribuindo para um tratamento correto, evitando assim, que a doença tenha uma evolução crônica.

A Biomédica explica que a maior problemática desta doença é em mulheres durante o período gestacional “a sífilis poderá ocasionar abortos espontâneos, prematuridade e morte fetal, sendo necessário que a gestante faça o controle pré-natal correto para o diagnóstico precoce”. No Brasil, o teste mais utilizado tanto em centros especializados e em serviços credenciados pelo SUS é o VDRL (Venereal Disease Research Laboratory), é um teste não treponêmico, de baixo custo e fácil execução. Gleiciere Maia esclarece que o resultado deste teste poderá ser positivo (reagente) e negativo (não reagente), e quando positivo, o resultado vem acompanhado de uma titulação (1:2, 1:4, 1:8..) que indicará para o médico dentre outros aspectos, a evolução do tratamento.

A Biomédica informa que outros testes laboratoriais poderão ser realizados, como a pesquisa direta (a pesquisa do T. pallidum em material coletado de lesão cutâneo-mucosa, placenta e cordão umbilical) e o FTA-ABS (Fluorescent Treponemal Antibody-Absorption), que é um método confirmatório para o diagnóstico de sífilis, com alta sensibilidade e especificidade, entretanto não sendo utilizado na rotina laboratorial.

Na presença de lesões nos órgãos genitais, ânus, pele, gengiva e mãos, procure um médico para uma consulta, o tratamento é com antibióticos e o diagnóstico é feito através de exames laboratoriais. Lembre-se que o uso do preservativo nas relações sexuais é de extrema importância para a prevenção da doença. Cuide-se!!! (Autora: Gleiciere Maia Silva, Biomédica, Especialista em Micologia e Microbiologia Médica e Mestre em Biologia de Fungos)



Comentários