Notícias

Candidatos ao Governo do Estado e Senado repercutem pesquisa

CORRIDA ELEITORAL

Por: em 16/08/2018 às 09h26 atualizado em 16/08/2018 às 09h26

A primeira pesquisa de intenção de votos realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), divulgada em parceria com a Folha de Pernambuco, foi recebida pelos candidatos ao Governo do Estado e Senado de formas diversas. Uma parte adotou a estratégia de não comentar o resultado para evitar especulações sobre o resultado, enquanto os demais avaliam que o cenário embrionário dá somente as primeiras pistas da corrida eleitoral.

Coordenador da campanha do senador Armando Monteiro Neto (PTB), o prefeito de Igarassu, Mário Ricardo, avalia que a amostragem revela “o vento da mudança soprando mais forte”. O petebista aparece com 24% na amostragem, em segundo lugar. “Com o início da campanha vamos confirmar essa tendência e vencer esse desafio ainda no primeiro turno”, destacou.

Liderando nominalmente a disputa, com 30% , o governador Paulo Câmara (PSB), por meio da sua assessoria, informou que adota a posição de não comentar os números de amostragens eleitorais. A mesma estratégia é adotada pelo ex-deputado federal Maurício Rands (PROS), que aparece com 4%.

Com 3% na amostragem, o ex-prefeito de Petrolina Júlio Lóssio (Rede) acredita que o desconhecimento do seu nome na Região Metropolitana do Recife e o recall dos demais candidatos não permitiu que sua candidatura apresentasse números expressivos no começo da disputa.

“Ainda sou pouco conhecido na RMR, meu grau de conhecimento é maior no Agreste e, portanto, já sei de onde vou partir. Segundo, ainda há um grande número de indecisos. Terceiro, na espontânea, percebe-se que as pessoas demonstram um grande grau de desconhecimento dos candidatos, portanto, grande parte da população ainda não se definiu”, apostou.

“Estamos confiantes. Já vi candidato começar com 3% e ganhar a eleição. Ela mostra que a nossa candidatura tem grande potencial de crescimento porque é a única que não tem contradições e pode dialogar com o povo com toda liberdade, porque não foi feita como uma colcha de retalhos.”

Senado
Na disputa por duas vagas no Senado, Humberto Costa (PT), com 15% das menções, acredita que a primeira pesquisa do Ipespe representa uma largada positiva, mas que o resultado só deve se definir na reta final da disputa. O parlamentar acredita que o crescimento de Paulo Câmara (PSB) nas pesquisas e o apoio da base da Frente Popular elevarão seu nome na pesquisa. “O quadro ainda está muito indefinido. Voto de senador, geralmente, é decidido no fim da eleição, diz.

O deputado federal Bruno Araújo (PSDB), com 5%, acredita que o desconhecimento afetou o seu desempenho, mas aposta que os apoios de lideranças políticas alavancarão seu nome. “Sou ainda pouco conhecido por nunca ter disputado um mandato majoritário. Estou muito confiante e motivado pelos importantes apoios recebidos em várias cidades do Estado”.

Em quarto lugar, com 6% dos votos, o deputado federal Silvio Costa (PT) acredita que o fato de parte dos seus adversários já terem disputado campanhas majoritárias acaba favorecendo-os.

“Avalio que a pesquisa efetivamente mostra recall. Ela não mostra o voto duro, consolidado. Dos cinco principais postulantes, dois deles foram governadores (Jarbass e Mendonça) e dois deles foram ministros recentemente (Mendonça da Educação e Bruno das Cidades). O candidato do PT (Humberto) foi candidato a tudo em Pernambuco, foi senador. Nunca tinha tido o privilegio de disputar uma majoritária e fiquei muito animado com o resultado”, disse. Jarbas Vasconcelos (MDB), com 23%, e Mendonça Filho (DEM), com 17%, não comentam pesquisas.

Da FolhaPE

Comentários

Desenvolvido por: