Notícias

Em Pernambuco é confirmado os primeiros casos de sarampo em 2019

Por: em 16/08/2019 às 11h41 atualizado em 16/08/2019 às 11h41

Nesta quinta-feira (15), os quatro primeiros casos de sarampo de Pernambuco, em 2019, foram registrados pela Secretaria Estadual de Saúde. De acordo com o governo, duas pessoas que ficaram doentes são do Recife e duas, de Caruaru, no Agreste.

A secretaria informou que os casos foram confirmados por exames laboratoriais feitos pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. A pasta disse que todos passam bem.

As ocorrências são relacionadas a três viajantes que participaram de uma excursão para Porto Seguro (BA), entre o fim de junho e início de julho, além de um uma pessoa conhecida desse grupo.

Os casos estão conectados a um paciente positivo de São Paulo, que era o monitor da viagem. Ao todo, 182 pernambucanos participaram da excursão, segundo o governo.

O estado disse, ainda, que nove casos de sarampo relacionados a essa excursão foram notificados, a partir do dia 25 de julho. Portanto, ainda estão em investigação outras cinco notificações relacionadas a essa viagem.

Essas pessoas residem no Recife, Olinda e em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana. Outra duas moram em Bezerros, no Agreste.

Diante disso, a vigilância epidemiológica dos municípios dos viajantes realizou busca ativa dessa população e dos possíveis contatos para verificar se há outros casos suspeitos. Também atuou para realizar bloqueio (vacinação com a tríplice viral), quando necessário, e para evitar a circulação viral.

Ao todo, 24 ações de bloqueio foram executadas, com mais de 1,2 mil doses da vacina aplicadas. O bloqueio, conforme o governo, deve ser feito de forma seletiva. A tríplice viral é administrada de acordo com a situação de cada contato.

Acima dessa idade, é avaliada a necessidade da imunização. A secretaria reforça que “todas as ações de prevenção e controle foram realizadas a partir da notificação dos casos, independentemente do resultado laboratorial, e que o órgão continua vigilante para a situação.”

A secretaria ressalta que, a partir das confirmações dos casos de sarampo, é preciso chamar a atenção da população para a importância de manter a caderneta de vacinação em dia.

A primeira dose da vacina contra o sarampo, que ainda protege contra rubéola e caxumba, deve ser tomada aos 12 meses. A tríplice viral ainda pode ser administrada para o público até os 49 anos.

Quem está com alguma dose em falta ou não sabe se completou o esquema, além de não ter tido a doença, é importante ir a um posto de saúde para regularizar a situação.

Com informações do G1

Comentários

Desenvolvido por: