Notícias

“Falso Padre” de Santa Cruz da Baixa Verde foi preso em Recife

Com o dinheiro dos fiéis, ele comprou terrenos no Recife e em Santa Cruz da Baixa Verde, no Sertão, diz delegado.

Por: em 13/02/2020 às 04h55 atualizado em 13/02/2020 às 09h12

Um homem de 25 anos foi preso nesta quarta-feira (12), no Recife, por suspeita de aplicar golpes fingindo ser padre e lucrar mais de R$ 200 mil, segundo a Polícia Civil. Os crimes foram praticados entre janeiro e novembro de 2019, no Rio de Janeiro. No momento da prisão, um policial agiu disfarçado de carteiro para não chamar a atenção do suspeito.

O homem preso foi identificado pela polícia como Luiz França de Lima, mas ele se apresentava às vítimas como Luiz Benjamín Alvarenga.

Em um dos casos, ele morou dois anos na casa de uma família e a roubou cerca de R$ 100 mil, de acordo com o delegado. Em dezembro, ele foi preso pela polícia do Rio de Janeiro. Luiz foi encontrado na casa de uma tia, no bairro do Espinheiro, na mesma região da cidade. Com ele, a polícia encontrou batinas e credenciais para um retiro, que supostamente seria organizado pela Arquidiocese de Olinda e Recife durante o carnaval.

Segundo o Delegado: “Luiz se apresentava como sacerdote da Igreja Católica, com formação nos Estados Unidos, e como doutor em história da filosofia. Ele ministrava missas, dizia ter conhecimento com o alto clero da igreja e, com isso, prometeu intervir na anulação de um casamento no Vaticano. Foram roubados mais de R$ 100 mil de uma vítima para cobrir os custos da burocracias do processo”.

O falso padre, que é de Santa Cruz da Baixa Verde, foi acusado pela Justiça do Rio de Janeiro, pelos crimes de estelionato, furto, falsidade ideológica e falsificação de documentos.

Uma das fotos que ele mostrava como prova que era Padre.

“Ele se aproveitava dessa ‘grife’, de formação diferenciada, para aplicar os golpes. Há indicativos de que ele pedia ajuda financeira para outros sacerdotes, a pretexto de subsidiar uma suposta tese que ele estaria escrevendo. Em um dos casos, ele também simulou que uma vítima estava acometida de uma leucemia para aplicar o golpe”, continuou em afirmação.

O dinheiro dos fiéis, fez com que ele comprasse dois terrenos no Recife e dois em Santa Cruz da Baixa Verde, no Sertão de Pernambuco.

“Toda a vizinhança conhecia ele como ‘padre Benjamín’. Ele voltou para o Recife em dezembro de 2019 e disse que a mudança foi porque milicianos queriam matá-lo, justamente por causa dos golpes”, contou o delegado.

Comentários

Desenvolvido por: