Brasil - Mundo

Homem suspeito de hackear celular de Moro pede ‘Lula Livre’ nas redes sociais

Por: em 24/07/2019 às 10h12 atualizado em 24/07/2019 às 11h21

Nesta terça-feira (23), um homem foi preso pela Polícia Federal na Operação Spoofing. Identificado por Walter Delgatti Neto, filiado ao DEM, se tornou ativo no Twitter a partir de 27 de maio, dias antes da primeira matéria do Intercept Brasil. Há várias postagens relacionadas ao Intercept, além de posts pedindo ‘Lula livre’ e críticas à Lava Jato, ao governo Bolsonaro e ataques ao site O Antagonista.

O acusado mantém fixado em seu perfil um post com discurso recente de Gilmar Mendes contra a criação do fundo privado com recursos recuperados da Petrobras. O ministro disse que a “fundação de Deltan Dallagnol era um fundo eleitoral”. “Gente desqualificada, gentalha, não tem condições de integrar o Ministério Público.”

O último post de Delgatti é sobre o ataque ao ministro Paulo Guedes. Ele escreveu: “Aí vem coisa hein kkk.”

O advogado de um dos presos suspeitos de invadir o celular de Sergio Moro disse ao O Antagonista que nada foi levado da casa da mãe dele, em Araraquara, um dos endereços de busca e apreensão. Gustavo Henrique Elias dos Santos foi preso em São Paulo e depôs em Brasília.“Gustavo é de Araraquara, mas reside hoje em São Paulo. Não sei como chegaram nele”, diz o advogado Ariovaldo Moreira. Walter Delgatti Neto, um dos alvos da operação de hoje da Polícia Federal, já foi preso e condenado por receptação, falsificação de documentos e porte ilegal de arma.

Delgatti também é investigado por vários crimes de estelionato e foi detido em 2015 com uma carteira falsa de delegado de polícia. Seu nome consta como filiado ao DEM de Araraquara.

Segundo O Antagonista, os suspeitos de invadir o celular de Sergio Moro já deixaram a Superintendência da Polícia Federal em Brasília. Eles chegaram ao local por volta das 19h e saíram dentro de uma viatura da PF às 22h. A PF não informou para onde foram levados.

Segundo o advogado de Gustavo Henrique Elias dos Santos, ele não respondeu às perguntas, assim como sua mulher, Suelen, também presa na operação. Os dois vão voltar nesta quarta (24) à PF para falar acompanhados da defesa.

Via O Antagonista

Comentários

Desenvolvido por: