Entretenimento

Você sabia? Falta de Vitamina D aumenta o risco de depressão

Por: em 22/08/2019 às 09h11 atualizado em 22/08/2019 às 09h11

A deficiência de Vitamina D pode impulsionar o risco de depressão em até 75% em pessoas mais velhas, concluiu um estudo divulgado pelo Journal of Post- Acute e Long-Term Care Medicine. A pesquisa foi realizada com 3.965 pessoas com mais de 50 anos, que participaram do Estudo Longitudinal de Envelhecimento da Irlanda (TILDA, na sigla em inglês).

Segundo especialistas, a descoberta causa preocupações, uma vez que ao longo dos anos as pessoas passam a receber menos vitaminas do que o suficiente. Depois de realizarem avaliações iniciais, os voluntários foram acompanhados em diferentes momentos após dois e quatro anos.

Após esses quatros anos, 400 pessoas haviam desenvolvido quadros de depressão. Os participantes com deficiência de vitamina D mostraram um risco 75% maior do problema. Para a ciência esta não é a vez que os níveis de vitamina D foram relacionados à depressão, mas o resultado desta pesquisa trouxe uma das mais convincentes evidências de que os dois fatores estão relacionados.

Na Irlanda, onde o estudo foi desenvolvido, estima-se que um em cada quatro idosos do país não esteja recebendo vitamina D suficiente no organismo, principalmente durante o inverno, uma vez que a exposição aos raios solares é uma das maneiras de adquirir a vitamina.

Ainda de acordo com os médicos, tomar suplementos da vitamina D é uma alternativa, por isso continuam pressionando o governo irlandês para que sejam atualizadas as diretrizes sobre a ingestão adequada da substância.

Eamon Laird, da Universidade de Dublin, destacou que “dado que a vitamina D é segura nas doses recomendadas e relativamente barata, este estudo contribui com evidências sobre os benefícios da vitamina D para a saúde; segundo informações publicadas pela Revista Galileu.

Além da questão relacionada à depressão, a vitamina D é essencial para o equilíbrio e manutenção de inúmeras funções do organismo, dentre elas regular a absorção de cálcio e fósforo, fortificar ossos, dentes e músculos.

Em orientações ao site Minha Vida, a nutricionista Débora Almeida da Silva também afirmou que a vitamina D é essencial “no combate à hipertensão, no controle de peso e na prevenção da osteoporose, já que é fundamental para a manutenção do metabolismo do cálcio e, logo, no desenvolvimento ósseo”.

Sol e vitamina D

O sol é um grande aliado para absorção da vitamina D, mas a exposição aos raios solares deve ser feita com cuidado. Em entrevista ao site do canal GNT a nutricionista Marina Capella frisou que “os dermatologistas recomendam 10 minutos diários de sol, antes das 10h, mas não é preciso ir à praia todos os dias. Simples atividades, como a prática de exercícios ao ar livre ou a caminhada até o ponto de ônibus já são suficientes”.

Uma alimentação equilibrada é essencial

Que uma alimentação saudável e equilibrada é essencial para o bom funcionamento do organismo não é novidade. Alguns alimentos podem ser essenciais para que os níveis de vitamina D se mantenham no fator desejado, principalmente os peixes de água salgada como sardinha, salmão e areque. A vitamina também é encontrada em menor quantidade nos ovos, leite, manteiga e carnes como o fígado de boi.

Vale salientar que o excesso de vitamina D também pode ser prejudicial à saúde, uma vez que ela pode aumentar a concentração de cálcio no sangue, podendo provocar a formação de cálculos renais e a chamada arteriosclerose.

Comentários

Desenvolvido por: