Brasil - Mundo

Bolsonaro diz: “quase tivemos uma crise institucional”

Moraes é o relator de ação protocolada pelo PDT.

Por: em 30/04/2020 às 09h03 atualizado em 30/04/2020 às 09h03

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse que “não engoliu a decisão” do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para a direção-geral da Polícia Federal. Bolsonaro também defendeu nomeações por amizade.

“Eu espero, no mínimo, rapidez. Não justifica a questão da impessoalidade. Como ele [Alexandre de Moraes] foi parar no Supremo? Com a amizade de Michel Temer. Quando chegou a lista tríplice eu não conhecia nenhum deles.”

“Conheci o senhor Ramagem e é uma pessoa competente segundo a própria Polícia Federal. E daí a relação de amizade? A minha segurança pessoal só não dormia comigo. Por que não posso prestigiar uma pessoa? (…) Tirar em uma canetada, desautorizar o presidente da República, ontem quase tivemos uma crise institucional”, explica Bolsonaro.

Leia Também: ‘Empresários Contra o Coronavírus’ em ST: “Já tem comércio em coma!”

Ainda de acordo com Bolsonaro, a decisão do ministro não repercutiu bem entre os policiais federais. “Agora te pergunto, Alexandre de Moraes, o senhor vai tirar o Ramagem da Abin, que é tão importante quanto? Senhor Alexandre de Moraes aguardo uma canetada do senhor para tirar ele da Abin, para ser coerente”.

Moraes é o relator de ação protocolada pelo PDT. O partido questionou a nomeação feita pelo presidente Jair Bolsonaro na esteira de uma série de acusações do ex-juiz Sergio Moro de tentativas de interferência política na Polícia Federal.

Comentários

Desenvolvido por: