Notícias

Casal é encontrado morto dentro de motel em Piedade

Por: em 07/05/2013 às 23h34 atualizado em 07/05/2013 às 23h34

lemom

Um casal foi encontrado morto, nesta terça-feira (7), em um quarto do Motel Lemon, que fica no bairro de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. De acordo com a Polícia Militar, o homem estava de bruços com um revólver calibre 38 na mão e por cima da mulher. Por conta disso, há a suspeita de homicídio seguido por suicídio.

Carlos Alexandre da Silva, 28 anos, era ex-presidiário e foi preso no ano passado por roubo qualificado. Ele chegou de São Paulo no último domingo (5) e nessa segunda-feira (6) foi buscar Maria Águida da Silva Paixão, 30, numa empresa de limpeza onde ela trabalhava. Da empresa eles seguiram de táxi para o motel.

“Eles chegaram no estabelecimento às 20h dessa segunda-feira (6). E o primeiro contato feito pelo casal com os funcionários do estabelecimento foi antes das 21h, quando Águida ligou para recepção e falou baixinho. Mas a recepção não entendeu o que ela estava falando. Esse contato poderia até ter sido um pedido de socorro”, relata o Tenente Edson Gomes, do 6º BPM.

Os funcionários retornaram o contato, mas o casal disse que queria um jantar. Só nesta manhã, por volta das 11h, é que foi notada a demora do casal no quarto. Então, os empregados do estabelecimento tentaram falar com os clientes, mas como não obtiveram resposta decidiram se comunicar pela janela de atendimento que fica dentro do quarto. Da brecha da porta foi possível identificar uma mancha de sangue. A PM foi chamada em seguida.

Ainda segundo a PM, os funcionários do motel não ouviram barulho de tiros e pelo estado dos corpos, certamente, faz tempo que o crime aconteceu. A arma que estava com Carlos Alexandre tinha três munições deflagradas. Ele morreu com um tiro no ouvido e a mulher com um tiro no pescoço e um na cabeça. Mesmo após o acontecido, o motel funcionou normalmente.

“Ainda estamos realizando as investigações, mas tudo indica que a mulher já tinha um novo companheiro. E isso deve ter motivado o crime”, conta o delegado responsável pelo caso, Paulo Medeiros, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).(NE10)

Comentários

Desenvolvido por: