Entretenimento Notícias

Crise: Setor de Evento prevê mais um ano com muitos prejuízos

Por: em 05/04/2021 às 04h55 atualizado em 05/04/2021 às 08h03

O primeiro a ser afetado e o último a retornar, o setor de eventos é um dos que mais está sofrendo com as restrições impostas para conter a pandemia da Covid-19. No mês de abril de 2020, 98% dos negócios do ramo tinham sido afetados pelas restrições, de acordo com o levantamento do Sebrae.

De acordo com a pesquisa, neste ano de 2021, os espetáculos, feiras e congressos seguem sendo adiados. Representantes da categoria afirmam que os prejuízos são incalculáveis. Os profissionais técnicos são os que mais vêm sofrendo com a paralisação que já completa um ano.

Festa de Setembro em Serra Talhada no ano de 2019

No início da quarentena, os representantes do setor de feiras e congressos acreditavam em uma retomada ainda em 2020. Segundo Fátima Facuri, presidente da Abeoc (Associação Brasileira de Empresas de Eventos), os eventos estão marcados para o segundo semestre de 2021 e as empresas ainda acreditam na retomada.

No último ano, apesar das tentativas de realização dos eventos pela internet, o formato presencial se mostrou imprescindível para o mostruário de produtos e o networking. “A gente não acredita em evento virtual porque não gera negócio. Imagine uma feira de cosméticos ou de equipamentos: como uma empresa vai fazer uma compra de milhões por uma plataforma virtual, sem ter tido contato com o produto?”, explica Facuri. Com informações do Blog O Abelhudo.

Comentários

Desenvolvido por: