Esportes

Neymar, um craque com a imagem maculada

Por: em 24/07/2018 às 10h17 atualizado em 24/07/2018 às 10h17

Nada saiu como o planejado por Neymar. Recuperado às pressas de uma lesão no pé direito, o atleta tinha tudo para arrebentar na Copa do Mundo 2018 e conseguir, enfim, o sonhado prêmio de melhor jogador do mundo. Afinal, aos 26 anos, o craque do Paris Saint-Germain envergava o manto mais pesado do futebol, atuava ao lado de companheiros em grande fase e jogava sob o comando de um técnico de resultados indiscutíveis. Na teoria, o Brasil seria campeão, o camisa 10 arrebentaria e as profecias se cumpririam.

© Pedro Martins / MoWA Press

Na prática, contudo, quanta diferença. A equipe verde-amarela caiu nas quartas de final, e a estrela do atacante pouco brilhou nos gramados russos. Para piorar, suas exageradas simulações correram os quatro cantos do planeta. Hoje, Neymar virou sinônimo de “cai-cai” e motivo de chacota mundial, como mostra o ‘Neymar Challenge’, em que as pessoas gravam vídeos caindo e fingindo dores. Sua reputação sofreu um duro golpe. O que é não é nada bom para quem tanto lucra com a imagem.

Jogador mais caro da história do futebol, sua transferência do Barcelona para o Paris Saint-Germain custou 222 milhões de euros (R$ 822 milhões à época, Neymar também fatura milhões com publicidade. Sempre que o atleta divulga algum produto nas redes sociais, ganha aproximadamente R$ 1,8 milhão. No entanto, diante de tantas críticas referentes a sua conduta dentro dos gramados, seu prestígio como garoto-propaganda parece te sido abalada. De acordo com estudo feito pela Pluri Consultoria, referência em negócios do esporte, o craque do PSG viu seu valor de mercado ser reduzido em 11% depois do Mundial. De 197,3 milhões de euros para os atuais 175,4 milhões de euros. Nada tão exatamente preocupante. Isso porque o brasileiro segue como o jogador mais valorizado do mundo. O próprio atacante nega estar perturbado por isso. “Desvalorização? Eu saí da Copa e estão até agora falando do meu nome. Então não desvalorizou. Não me esquecem nunca”, afirmou.

Segundo o consultor de marketing e gestão esportiva Amir Somoggi, o cenário não é exatamente para o jogador. Entretanto, Neymar precisaria repensar seus rumos. “Tá superdimensionado isso (o estudo da Pluri). Ele continua sendo a maior contratação da história. Agora, acho que ele saiu com a imagem de marketing e o desempenho arranhados. Porque, ao invés de jogar bem, ele ficou com essa fama de cai cai, que é uma coisa que já o acompanha na Europa há muito tempo”, destaca. “Os patrocinadores efetivos do Neymar não vão abandoná-lo, o PSG não vai reduzir o salário dele e a vida dele não vai mudar muita coisa do ponto de vista financeiro. O problema é a má gestão da carreira dele. Não havendo uma mudança efetiva da forma como ele joga, com esse cai-cai, pode afetar no futuro os seus ganhos. Ele tem espaço ainda para ganhar muito dinheiro, para ganhar a Bola de Ouro, só que vai ter que passsar por cima de todos esses obstáculos que ele mesmo criou”, avalia Somoggi.

Para Fernando Lima, sócio-diretor da Änimä, escritório de inteligência de marca, os efeitos negativos gerados no Mundial da Rússia podem abalar a carreira de Neymar nos próximos anos. “Eu acho que ele pode perder (relevância), sim. Até mesmo pela aparição de novos personagens. Um novo Neymar aparece. Para a próxima Copa, acredito que vão surgir uns dois ou três nomes de impacto equivalente. Ele virou um meme e isso é muito negativo”, analisa. “E piora para ele quando há a comparação com outros. Teve jogador da França (Mbappé) que doou o prêmio da Copa do Mundo para instituições de caridade. Outro entregou a taça para a mãe levantar (Pogba), quebrando protocolos. E isso fica marcado. Neymar até demorou a se pronunciar sobre essas piadas sobre ele. Fez um leilão beneficente, gravou um vídeo fazendo graça com essa fama adquirida. Ele passou a rir de si mesmo, porque a partir do momento em que você ri de você mesmo, ninguém mais ri. Foi uma estratégia muito inteligente, pensada para melhorar essa imagem dele, que busca ser recuperada. É esse tipo de coisa que ele precisa fazer depois de tudo o que aconteceu na Copa do Mundo”, observa o especialista.

Comentários

Desenvolvido por: