Brasil - Mundo Notícias

Petrobras anuncia um aumento de 39% no preço do gás natural

Medido em dólar por milhão de BTU , o reajuste será de 32%.

Por: em 05/04/2021 às 16h36 atualizado em 05/04/2021 às 16h36

A partir do dia 1º de maio, os preços da venda de gás natural para as distribuidoras ficarão 39% mais caros em reais por metros cúbicos (R$/m³), em comparação com o último trimestre. Medido em dólar por milhão de BTU – unidade de energia usada nos Estados Unidos e no Reino Unido, (US$/MMBtu)- o reajuste será de 32%.

Segundo o anúncio realizao pela Petrobras, a variação é resultado “da aplicação das fórmulas dos contratos de fornecimento, que vinculam o preço à cotação do petróleo e à taxa de câmbio”.

Conforme a estatal, as atualizações feitas nos preços dos contratos são trimestrais e com relação aos meses de maio, junho e julho, a referência aderida são os preços dos meses de janeiro, fevereiro e março.

“Durante esse período, o petróleo teve alta de 38%, seguindo a tendência de alta das commodities globais. Além disso, os preços domésticos das commodities tiveram alta devido à desvalorização do real”, disse a petroleira por meio nota.

O repasse dos custos incorridos pela companhia para o transporte do produto até o ponto de entrega às distribuidoras também tem influência nos preços do gás natural da Petrobras. Esses custos são estabelecidos por tarifas reguladas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

“Esta parcela do preço é atualizada anualmente no mês de maio pelo IGP-M, que, para o período de aferição (março de 2020 a março de 2021), registrou alta de 31%”, afirmou a Petrobras.

Por conta do efeito da queda dos preços do petróleo no início do ano, durante 2020, os preços do gás natural às distribuidoras alcançaram redução acumulada de até 35% em reais e de 48% em dólares.

A Petrobras informou ainda que o preço final do gás natural ao consumidor não é determinado somente pelo preço de venda da companhia, mas também pelas margens das distribuidoras e, no caso do GNV, dos postos de revenda, e pelos tributos federais e estaduais.

“Além disso, o processo de aprovação das tarifas é realizado pelas agências reguladoras estaduais, conforme legislação e regulação específicas. Os contratos de venda para as distribuidoras são públicos e estão disponíveis para consulta no site da ANP”, finalizou a empresa. Informações da Folha PE

Comentários

Desenvolvido por: