Notícias

Polícia Civil soltou suspeitos de ações criminosas em Tuparetama

Por: em 06/05/2013 às 22h43 atualizado em 06/05/2013 às 22h43

ipunidade

Apesar dos indícios levantados pela Polícia Militar, a Polícia Civil liberou dois homens  presos por posse ilegal de arma, um deles suspeito de participação na ação criminosa da semana passada, com explosão e assalto ao BB e Bradesco de Tuparetama.

A alegação é de que não havia indícios suficientes para manter Adriano Martins da Silva, 32 anos preso. Adriano Martins da Silva, 32 anos e o irmão dele Edmilson Martins da Silva, 31 no povoado de São Vicente , município de Itapetim pagaram fiança e saíram pela porta da frente.

Segundo a Polícia Militar em nota, com ele, além de uma arma, foi encontrada a quantia de R$1.376,00. Quase todo dinheiro em cédulas novas de cem e cinquenta reais, além de um cheque no valor de R$1.100,00. A polícia destaca que entre as cédulas apreendidas uma estava manchada com tinta semelhante a expelida em explosões de caixas eletrônicos.

Um blusão com toca, semelhante ao utilizado por um dos assaltantes, de acordo com as imagens da agência bancária, também foi apreendido em poder de Adriano.

Em entrevista ao programa Primeira Página, da Rádio Pajeú, a Capitã Mirelle Oliveira informou que houve contradição do principal suspeito quanto ao que fazia na madrugada do crime. “Ele também apresentou um corte na mão compatível com o ferimento que um deles apresentou fruto do vidro do Banco do Brasil quebrado com a explosão”, afirmou.

O caso : Em Tuparetama, na madrugada da última quinta, duas agências bancárias do Banco do Brasil e Bradesco foram explodidas por cerca de dez criminosos fortemente armados. Eles fugiram no sentido da região de fronteira com a Paraíba. (Nill Júnior)

Comentários

Desenvolvido por: