Brasil - Mundo Notícias

Teich diz que decisão sobre serviço essencial não é da Saúde

Teich disse que esta é uma decisão do presidente

Por: em 12/05/2020 às 06h57 atualizado em 12/05/2020 às 06h57

O ministro da Saúde, Nelson Teich, comentou nesta segunda-feira (11/5), a decisão do presidente Jair Bolsonaro, em incluir academias de ginástica, salões de beleza e barbearias como serviços considerados essenciais, que não podem ser fechados durante a pandemia de novo coronavírus. Teich disse que esta é uma não é atribuição do Ministério da Saúde, mas uma decisão do presidente.

“A decisão de atividades essenciais é feita pelo Ministério da Economia”, afirmou em coletiva de imprensa. Teich não sabia da decisão do presidente e foi informado pelos jornalistas que o presidente Bolsonaro havia publicado a mudança em uma edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

Questionado sobre a necessidade ou não de que a Saúde seja consultada ao expandir o leque de atividades consideradas como essenciais, o ministro Teich disse: “Onde o Ministério da Saúde pode e deve ajudar é no desenho dos fluxos de como devem acontecer. A decisão de ser essencial ou não é da economia. A gente participa desenhando uma forma de fazer que proteja as pessoas”. 

*Correio Braziliense

Comentários

Desenvolvido por: